Amanhã, onde vamos?
Restaurante Colher de Pau

Restaurante Colher de Pau

Colher de Pau é mais um dos incríveis restaurantes que decidimos conhecer. Fomos, mais uma vez, jantar a Vale de Cambra. Após algumas pesquisas, estava decidido, desta vez íamos conhecer o Colher de Pau. E valeu tanto a pena! Assim que entrámos só me apetecia fotografar os encantadores detalhes que fazem desta casa um espaço tão aconchegante e carismático. Como tanta gente sabe adoro tradições e peças antigas com história. Este restaurante está repleto de peças que têm certamente por detrás uma história. Sei que há pessoas que não valorizam o antigo. Eu, desde muito pequena, sempre me senti diferente das pessoas da minha idade. Sempre tive um fascínio por tudo que é “antigo” e só via esse mesmo fascínio em pessoas muito mais velhas do que eu. E hoje, com 30 anos e história mantém-se. Nesta minha ligação e fascínio por antiguidades continuo a sentir-me o “patinho feio” no meio das pessoas com a minha idade. O pior, é que adoro, ser este “patinho feio”. Mas vamos ao que importa (ou ainda começo a falar do meu gosto por feiras de antiguidades as conhecidas “Feiras do Velho” e isso quero deixar para outro artigo).

O Colher de Pau nasceu em 2004 e está localizado na Rua da Fábrica, 207, Vila Chã, Vale de Cambra. O seu proprietário, António Lopes, através do seu gosto pelo tradicional e pela cozinha Portuguesa, conseguiu transformar esta casa num local onde se come muitíssimo bem (há críticas muito positivas a este restaurante) e onde sabe bem estar. Entrar, estar, ficar, demorar a sair… porque é sem dúvida, um restaurante muito, muito bonito.

São vários os pratos que podem ser saboreados neste restaurante, nomeadamente: posta no espeto, vitela assada, bife especial, tirinhas com cogumelos, rojões, bacalhau com broa e grelos, lulas à lagareiro, arroz de polvo, polvo à lagareiro, entre outros. Nós optámos pelas tirinhas com cogumelos, servidas com arroz e batata frita. O molho que envolvia a carne era maravilhoso. Antes do prato, as entradas que eram  igualmente deliciosas: presunto, queijo, melão e polvo. Para sobremesa pedi mousse de chocolate. Não quero ser repetitiva, mas também era deliciosa e com uma textura incrível (adorava conseguir fazer mousse com aquela textura).

Além da comida ser incrível, eu valorizo sempre muito as pessoas (aliás, até valorizo mais as pessoas do que a comida) e considero por isso importante realçar a simpatia de quem nos atendeu. É sem dúvida, um dos locais a voltar!

Julho de 2018

Artigos Relacionados

2 Responses

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to Top